3

Quando ensinamos algoritmos para novos programadores, tentamos mostrar de forma simples o que um procedimento, função, etc. de fato, é, e para isso tentamos ser o mais "simples" possível. É notório que programadores experientes usem algoritmos "pouco humanamente legíveis", pois já estão acostumados com a sintaxe.

Por exemplo, ao ensinarmos para um estudante sobre um condicional, tentamos usar uma sintaxe breve e simples:

if (numero > 10) {
    faça_alguma_coisa()
} else {
    faça_outra_coisa()
}

Mas é comum vermos programadores experientes tendo o mesmo resultado acima com:

numero > 10 ? faça_alguma_coisa() : faça_outra_coisa()

Outro exemplo prático: este usuário preferiu escrever essa resposta de forma "longa", mas intuitiva:

TxtCgc.Text = numcgc.Substring(0, 3) + "." + numcgc.Substring(3, 3) + "." + numcgc.Substring(6, 3) + "-" + numcgc.Substring(9, 2)

Sendo que é possível:

TxtCgc.Text = String.Format("{0}.{1}.{2}-{3}", numcgc.Substring(0, 3), numcgc.Substring(3, 3), numcgc.Substring(6, 3), numcgc.Substring(9, 2))

Ou até mesmo:

TxtCgc.Text = Long.Parse(numcgc).ToString("000\.000\.000-00")

Isso acontece em outras situações, como uso de operadores, escrita de informação dentre outras milhares de situações que "encurtamos" o código.

Levando em consideração o código limpo, um código curto também pode ser eficiente da mesma forma que um código longo. Mas para estudantes, qual método devemos usar?

14
  • 2
    Cada um faz como acha melhor em cada contexto. E será julgado pela comunidade por isso. O ideal é só não ter erro, que tenha explicação das escolhas, mas não que seja absolutamente obrigatório. Mostre o que acha melhor para a pessoa aprender. Mostrar um mecanismo é uma coisa, mostrar como a pessoa deve fazer em uso real é outra. Quer ensinar o erro? Ainda que não seja um erro de fato, apenas uma forma não tão boa. Quase sempre eu faço como eu faria, em poucos casos eu adapto.
    – Maniero Mod
    16/08 às 21:16
  • 3
    O importante, no meu ver, é deixar claro o contexto. O espaço da resposta é suficiente para ir direto ao ponto no começo, e elaborar depois (ou o contrário, passar a teoria e fechar com um código "real"). E cada um tem seu jeito de fazer, o importante é não vender "gato por lebre". Vale notar que em alguns contextos numero > 10 ? faça_alguma_coisa() : faça_outra_coisa() é pior que o if else separado. Código "encurtado na marra" não significa código bom, depende do caso. (exemplo, uso do map onde for resolve de maneira mais eficiente, erro comum de quem não tem domínio do funcionamento).
    – Bacco Mod
    16/08 às 22:47
  • 2
    "encurtado na marra"...nossa! Nem me fale. E quando eu encontro horrores (nos code review) "encurtados" como ternário dentro de ternário dentro de ternário... sendo que uns if s deixaria tudo tão mais legível e organizado. 17/08 às 1:50
  • 2
    @CmteCardeal, dá para aninhar alguns condicionais ternários mantendo-se legível e manutenível. Mas eu entendo do que está dizendo, tem pessoas que caem no engodo de exibir com um código exotérico achando que parecerão mais inteligentes. 17/08 às 4:37
  • 1
    Só dizer que não votei nem +1 e nem -1, não por descaso. A pergunta me foi boa como indivíduo para refletir como estou me expressando. Mas concordo com os colegas que o contexto é quem vai definir a ênfase e o detalhamento que serão atribuídos a uma linha ou fragmento de código, e por isso o não voto(concordo e não concordo, depende do contexto). 17/08 às 4:51
  • 3
    Considerando o objetivo do site (criar um repositório de conhecimento sobre programação), as respostas devem servir não só para quem perguntou, mas para qualquer visitante futuro. Sendo assim, o fato do AP ser estudante, formado, noob, curioso ou um profissional com décadas de experiência, é irrelevante. Por fim, código menor não é necessariamente melhor, e vale o que foi dito: vc escolhe se vai mostrar a abordagem mais simples ou a mais avançada, e a comunidade avalia via voto (cada caso é um caso)
    – hkotsubo
    17/08 às 11:47
  • 1
    A palavra que responde essa dúvida é a mencionada "contexto". Não tem como dar uma resposta simples para uma pergunta sobre um algoritmo complexo, da mesma forma que é inviável expressar um algoritmo da forma mais complicada com a solução mais fácil. Além disso, a forma que o AP/OP responde importa muito, com seu "estilo" de código. Isso acaba sendo pessoal e contextual no final. 17/08 às 13:39
  • Mas seguindo o que o @hkotsubo mencionou, é importante ressaltar que o seu conteúdo será visto por diferentes tipos de pessoas, então adaptar seu código para ser "o mais abrangente possível" e ao mesmo tempo "limpo" é uma boa prática na comunidade. 17/08 às 13:40
  • 2
    Eu gosto da ideia, mas geralmente os experientes AR, mesmo que façam de formas diferentes, fornecem exemplos claros, o problema são as respostas de suporte personalizado/pessoal de alguns ARs menos experientes ou até insistentes na "falha" em atuar no site, suas respostas costumam focar no copia e cola que funcionará. Não são poucos os casos, temos exemplos de ARs que respondem muitas perguntas por dia que suas respostas se baseiam nisso. A postagem aqui no META é interessante, mas penso que ela nem precisaria ser uma pergunta, mas sim um "vamos fazer!". 17/08 às 13:52
  • 1
    @GuilhermeNascimento ela é um direcionamento e um quanto uma mobilização. É legal também pontuar isso. Acredito que "copia e cola" não faz parte das nossas diretrizes de qualidade e temos que remover esse conteúdo, o que já estamos fazendo aliás. Os usuários bons dão boas respostas e fazem boas perguntas. Os outros sequer sabem que o meta existe, e os que sabem não tão nem aí. Nesse escopo, acho que cabe ter uma outra discussão e outra mobilização, talvez usando este conteúdo como "anexo". 17/08 às 13:56
  • 1
    Sim eu notei o intuito, mas o que digo é que deveria ser já evidente, porque me parece a postagem me parece uma boa ideia, seria algo no estilo de Manual de como NÃO fazer perguntas, já sendo bem direto, pois é um assunto bastante discutido em paralelo (chats) e quem está bem alinhado com o site provavelmente já entende a importância, então tem momentos que não precisamos ser indiretos, quem se importa com o site vai compreender e provavelmente concordar com a proposta, por isso creio que podemos ser mais diretos e objetivos :) ... ps: editei meu comentário anterior. 17/08 às 14:14
  • Para resumir, estive pensando que algo um pouco mais "intuitivo" teria um resultado melhor sobre a comunidade. Temos um acervo gigantesco de tutoriais e materiais para alcançarmos uma qualidade superior à que temos hoje, mas o resultado é decepcionante como conhecemos. Proponho que se dirigirmos uma informação de forma mais simples, intuitiva e prática alcançaria resultados melhores do que já temos hoje. Guias, manuais ou postagens não vão servir para usuários que não estejam interessados em ler "guias". 29/08 às 16:44
  • Talvez um vídeo seria de bom agrado para a comunidade, para ensinar o pessoal que é "preguiçoso em ler". A comunidade não é feita para pessoas que não se interessam em ler documentações, mas acredito que está difícil para elas se adaptarem às diretrizes do SOpt, e, portanto, é mais fácil adaptarmos-vos às nossas diretrizes de forma que seria mais fácil a eles. 29/08 às 16:47
  • É perceptível também que a maioria do público que publica conteúdo de baixa qualidade não é profissional. Não exercem atividade profissional ou não tiveram esse tipo de contato ainda. Não o suficiente para se adaptarem a comunidade. 29/08 às 16:49

0

Você deve fazer log-in para responder a esta pergunta.

Pesquise outras perguntas com a tag .